Reservatórios da Copasa se aproximam de nível crítico

Os principais reservatórios de abastecimento de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) estão chegando a um nível bastante crítico, diz matéria veiculada pelo jornal Diário do Comércio.

Assessoria Projeto Manuelzão

O Sistema Rio das Velhas está com uma vazão 50% inferior àquela normalmente registrada nesta época do ano. Já no Paraopeba, o déficit é de 30%, segundo dados da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

Por se tratar de início do ano hidrológico, que vai de outubro a março, o dado fica mais preocupante. Isso porque, a vazão está muito inferior ao nível registrado no ano passado – já considerado seco por anteceder o período chuvoso. A empresa não deixa claro qual o atual nível dos reservatórios e nem cita como eles estavam no exercício anterior a nível de comparação.

Os dois sistemas juntos são importantes por representarem 80% do abastecimento de água RMBH. No caso do Sistema Paraopeba, a menor vazão reflete um volume menor de água nos reservatórios do Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores.

Mesmo diante desses dados, a Copasa garante não haver risco de desabastecimento na região. Em nota, a companhia explica que o abastecimento é caracterizado pela integração de vários sistemas de produção. Porém, a empresa admite que os principais sistemas são os já citados e que operam com uma capacidade de atendimento à população cada vez mais reduzida.

Enquanto a oferta se reduz a cada dia, a demanda segue na direção contrária. Por causa do calor intenso, da estiagem e da baixa umidade relativa do ar, a Copasa necessitou aumentar a produção de água tratada na RMBH em 5% no período. A empresa tem produzido cerca de 1,3 bilhão de litros por dia, o que tem garantido o abastecimento das cidades atendidas por ela na região.

Transferência – A Copasa tem utilizado ainda uma rede, formada por 22 quilômetros de adutoras que interligam os sistemas de produção das bacias dos rios das Velhas e Paraopeba, transferindo água tratada de um para o outro. Em volume, isso significa que o Sistema Rio das Velhas transfere até 121 milhões de litros por dia de água tratada para a área hoje abastecida pelo Sistema Paraopeba.

Apesar de não acreditar ter o risco de desabastecimento, a Copasa pede aos moradores para ajudarem a companhia a enfrentar esse período de estiagem, evitando desperdícios. “Atitudes simples como lavar o carro com balde de água no lugar da mangueira; deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes; tomar banhos rápidos, suficientes para a higiene corporal; aguar plantas com regador; e não lavar o passeio com água tratada fazem toda a diferença. A Copasa lembra que o uso consciente da água é importante em qualquer estação do ano”, diz a empresa em nota.

Matéria publicada no jornal Diário do Comércio, em 17/10/2014, pela jornalista: Tatiana Lagôa

 

Por: Assessoria de comunicação

Publicado em: 17/10/2014

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s