Moringa: tratando a água de forma alternativa

Sementes são uma alternativa ao tratamento convencional e podem ser utilizada na purificação  de águas de açude de forma sustentável

 

            Um dos maiores problemas encontrados na sociedade moderna é a disponibilidade de água potável. O crescimento desordenado das cidades e o adensamento populacional em consonância com o lançamento indiscriminado de efluentes domiciliares e industriais no cursos d’água fez com que a qualidade da água se deteriorasse. Atualmente é raro encontrar uma localidade onde a poluição das águas não seja uma realidade.

             A qualidade da água de uma comunidade diz muito sobre a saúde coletiva experimentada pela população. A água é um transmissor potencial de doenças, alem de ser um bem inerente a sobrevivência da espécie humana.

            Visando solucionar os problemas reproduzidos pela água poluída, uma das soluções foi o tratamento da água. Através de uma série de processos químicos e físicos, grande parte dos resíduos contaminantes são removidos, tornando a água mais pura.

            O tratamento convencional utilizado hoje, em grande parte dos municípios brasileiros, consiste na associação de etapas de tratamento como : coagulação,floculação,decantação,filtração,desinfecção,fluoretação e correção de pH. A floculação e a coagulação são etapas inerentes ao processo de tratamento e  exigem o uso de reagentes químicos, dentre eles o sulfato de alio, para que ocorram.

            A Moringa oleífera é uma planta arbórea nativa da Índia, porém mais comumente encontrada em todo o continente africano. Diversas partes de sua estrutura são utilizadas  ha séculos  na produção de remédios naturais, produção de fibras e até na alimentação.

            Descobertas recentes demonstram uma realidade ja conhecida pelos povos africanos. A semente da Moringa possui características fisioquímicas que permitem a coagulação e floculação de resíduos que tornam a água  impura.

            Alem de ser uma descoberta que permite um tratamento econômico, com baixo custo agregado,em localidades que não possuem acesso ao tratamento convencional a Moringa Oleifera, vem demonstrando de forma promissora sua eficiência em purificação da água. Estudos comprovam que ela permite a purificação da água em ate 93 por cento de eficácia. Tudo isso, graças a sua funções coagulantes que deve-se ao fato de possuir proteínas catiônicas presentes em sua semente, serem solúveis em água e em contato com as partículas de carga negativa atuarem, principalmente, pelo mecanismo de absorção e neutralização de cargas. Seu uso permite com que o Ph da água não se altere tanto, diminuindo assim os gastos referentes a correção do PH.

Sua fácil adaptação nos trópicos permite com que o Brasil invista nessa nova tecnologia social. Além de seu grande papel despoluente a Moringa possui um beneficio de econômico e social. Ela também possui um campo promissor como adsorvente. Ou seja, além de melhorar a qualidade da água ela também possui capacidade de desintoxicação da água, uma vez, que ela têm demonstrado favoráveis condições na remoção de compostos orgânicos como: o benzeno, o tulueno, o etilbenzeno e o isopropilbenzeno. A semente chega a remover compostos como zinco,cobre, ferro, alumínio, cádmio, crómio e níquel por processo de coagulação-floculação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s